Gás de árgon nas janelas: vantagens

Janelas de gás de árgon sim ou não?

Já deve ter ouvido falar da utilização de gás árgon em janelas e está a considerar se vale ou não a pena escolher. Neste post queremos resolver todas as suas dúvidas, explicando o que é e qual é a sua utilização nas janelas.

12 Mayo 2021
Compartilhar:
Janelas de gás de árgon

Quando se trata de escolher como serão as nossas janelas, somos confrontados com um número crescente de possibilidades. O tipo de abertura material do perfil, o tipo de vidro e… também podemos escolher como preencher as câmaras de ar que separam um vidro do outro. Para além do ar comum, podemos utilizar outros elementos como o gás árgon, de que falaremos neste post.

Após esta breve introdução, compreenderemos que quando falamos de janelas de gás árgon, falamos realmente do seu envidraçamento. Quer optemos por janelas com vidro duplo ou triplo, o gás árgon será introduzido nas diferentes câmaras que separam as vidraças da janela. Porque é que o gás árgon é utilizado? O objetivo da sua utilização com respeito ao ar comum, é que melhora o desempenho da janela podendo melhorar o seu isolamento térmico e acústico.

É importante notar que se tivermos problemas de isolamento, a utilização de gás árgon não os fará desaparecer. Por si só, o gás árgon não será a nossa solução, mas temos de tentar combiná-lo com vidros que incluam tratamento de baixa emissividade, controlo solar, etc., de acordo com as nossas necessidades. E nesta escolha não devemos descurar o material do perfil, uma vez que o desempenho final da janela (o isolamento que pode proporcionar à casa) dependerá tanto da composição do vidro como da escolha do perfil.

Características do gás árgon:

De modo a conhecer melhor o gás árgon e a sua utilização em janelas, damos uma vista de olhos às suas principais características:

  • É seguro: Quando ouvimos ou lemos a palavra "gás" tendemos a associá-la ao perigo, mas neste caso o gás árgon é encontrado naturalmente na atmosfera sendo incolor, inodoro e não tóxico. Portanto, no caso de uma fuga, nem nós, nem o ambiente estaríamos em perigo, o gás seria simplesmente libertado de volta para a atmosfera.
  • Isolante, térmico e acústico: como é um gás mais denso do que o ar normal, favorece o isolamento, faz as ondas sonoras ricochetearem e não tem acesso ao interior da casa tão facilmente. Isto é verdade desde que não enchamos apenas as câmaras que separam um copo do outro com gás árgon, mas que escolhamos os vidros cuidadosamente.
  • Poupança de energia e conforto: como consequência da característica anterior, obteremos uma maior poupança e conforto. Um melhor isolamento irá reduzir a utilização de aquecimento ou ar condicionado, reduzindo os custos energéticos e evitando picos de calor e frio que afetam o nosso conforto.
  • Evitar a condensação: é possível que tenhamos visto alguma condensação no vidro, por vezes devido à utilização de fabricantes não qualificados que não selaram bem a união do vidro ao perfil. O gás árgon também desempenha um papel nisto, visto que a desidratação presente nas suas moléculas as faz mover-se a uma velocidade mais lenta e evita o aparecimento de condensação.
  • Preço: quando comparado com outros gases que são também utilizados para encher vidraças, tais como o xénon ou krypton, vemos que o gás árgon tem a melhor relação preço/desempenho o melhor equilíbrio entre a relação qualidade/preço. É verdade que é mais caro do que comprar janelas com ar normal, mas também garante um isolamento extra.

Nem tudo ia ser vantajoso, o uso de gás árgon tem alguma pequena desvantagem, e isto é que se perde com o tempo. Embora a perda seja realmente mínima, cerca de 10% para cada 20 anos de utilização, uma percentagem que, se a analisarmos bem, nem sequer devíamos rotulá-la como uma desvantagem. No entanto, para que isto aconteça, é essencial que as janelas estejam devidamente seladas.

Esperamos que este post vos tenha ajudado a compreender melhor o que é o gás árgon e como pode ser utilizado nas janelas. No final, e como já comentámos em ocasiões anteriores, é uma questão de encontrar um equilíbrio entre os diferentes elementos que compõem a janela. Se o nosso objetivo é obter o máximo isolamento e eficiência energética, o perfil, o envidraçamento e a instalação devem ir na mesma ção.

Compartilhar:

Mais visto